sábado, 31 de julho de 2010

Fricassê de frango


















2 peitos de frango cozido com 2 caldos de galinha
1 cenoura ralada
1 cebola picadinha
1 copo de caldo do cozimento do frango
1 lata de creme de leite sem soro
1 copo de requeijão cremoso
2 colheres de trigo
1 lata de milho verde escorrido
300 gramas de mussarela ralada
Refogue o frango e 6 colheres de oleo,a cebola e alho.
Junte a cenoura e faça um bom refogado.
Bata no liquidificador o milho escorrido,junte o copo de 250 ml do caldo,
Acrescente a farinha, bata bem.Misture ao frango refogado a mistura do liquidificador,o creme de leite,o requeijão,mexa bem,coloque cheiro verde bem picadinho,deixe engrossar.
Despeja num refratário metado do refogado,mussarela,o restante do frango e termine com mussarela.Leve ao forno até derreter bem a mussarela.
Sirva com  batatas palha e arroz branco.Rendimento refratário retangular grande.
Pode fazer sem medo de ser feliz,uma delícia.rsrsrs

Ser Feliz ou ter razão?

"Ser feliz ou ter razão?"

Para reflexão...

Oito da noite, numa avenida movimentada.
O casal já está atrasado para jantar na casa de uns amigos.
O endereço é novo e ela consultou no mapa antes de sair.
Ele conduz o carro.
Ela orienta e pede para que vire, na próxima rua, à esquerda.
Ele tem certeza de que é à direita.
Discutem. percebendo que além de atrasados, poderiam ficar mal-humorados, ela deixa que ele decida.
Ele vira à direita e percebe, então, que estava errado.
Embora com dificuldade, admite que insistiu no caminho errado, enquanto faz o retorno.
Ela sorri e diz que não há nenhum problema se chegarem alguns minutos atrasados.
Mas ele ainda quer saber:
- Se tinha tanta certeza de que eu estava indo pelo caminho errado, devia ter insistido um pouco mais...
E ela diz:
- Entre ter razão e ser feliz, prefiro ser feliz.
Estávamos à beira de uma discussão, se eu insistisse mais, teríamos estragado a noite!

Moral da história:

Esse fato foi contado por uma empresária, durante uma palestra sobre simplicidade no trabalho.
Ela usou a cena para ilustrar quanta energia nós gastamos apenas para demonstrar que temos razão, independentemente, de tê-la ou não.
Diante disso me pergunto:
'Quero ser feliz ou ter razão?'
E lembrei de um outro pensamento parecido, diz o seguinte:
“Nunca se justifique. Os amigos não precisam e os inimigos não acreditam."
Esta mensagem eu tirei do site do mais você. Achei linda e queria compartilhar, eu no alto dos meus 43 anos eu quero é ser feliz? e você? deixe aqui seu comentário gostaria  de obter sua opinião.
Beijos

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Pão caseiro cilindrado

-1 kg de farinha de trigo
-2 ovos
-2 colheres (sopa) de margarina
-1 xícara (café) de óleo
-1 sache de fermento granulado
-2 copos (requeijão) de água morna
-4 colheres (sopa) de açucar
1/2 colher (sopa) de sal
modo de fazer:
misture o sache de fermento junto com 2 collheres de farinha e um pouco de água morna,reserve.Numa bacia grande coloque os demais ingredientes,os ovos dê uma leve batida separado,acrescente a mistura de fermento e amasse até dar ponto,pode ser que necessite um pouco mais de 1 kg de farinha.Deixe crescer,cilindre,enrole os pães,coloque uma bolinha de massa em um copo,quando a bolinha subir,espere mais uns 15 min coloque no forno 180 graus,até ficar douradinho.

Rende 3 pães médios.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Aprendi e decidi

E assim, depois de muito esperar, num dia como outro qualquer, decidi triunfar...
Decidi não esperar as oportunidades e sim, eu mesmo buscá-las.
Decidi ver cada problema como uma oportunidade de encontrar uma solução.
Decidi ver cada deserto como uma possibilidade de encontrar um oásis.
Decidi ver cada noite como um mistério a resolver.
Decidi ver cada dia como uma nova oportunidade de ser feliz.
Naquele dia descobri que meu único rival não era mais que minhas próprias limitações e que enfrentá-las era a única e melhor forma de as superar.
Naquele dia, descobri que eu não era o melhor e que talvez eu nunca tivesse sido.
Deixei de me importar com quem ganha ou perde.
Agora me importa simplesmente saber melhor o que fazer.
Aprendi que o difícil não é chegar lá em cima, e sim deixar de subir.
Aprendi que o melhor triunfo é poder chamar alguém de"amigo".
Descobri que o amor é mais que um simples estado de enamoramento, "o amor é uma filosofia de vida".
Naquele dia, deixei de ser um reflexo dos meus escassos triunfos passados e passei a ser uma tênue luz no presente.
Aprendi que de nada serve ser luz se não iluminar o caminho dos demais.
Naquele dia, decidi trocar tantas coisas...
Naquele dia, aprendi que os sonhos existem para tornar-se realidade.
E desde aquele dia já não durmo para descansar...
Simplesmente durmo para sonhar.
Autoria de Walt Disney

Panquecas de pão de queijo



Sabem aquela história que quando você não tem o que fazer inventa?
pois muito bem foi isto que fiz, ontem a tarde resolvi fazer aqueles pãezinhos de queijo de liquidificador, que assamos em forminhas de empada, fiz a massa, ficou linda e coloquei os dito cujos para assar nas minhas forminhas que são anti- aderente, nunca untei e sempre deu certo, porém sempre tem a primeira vez, não consegui tirar um inteiro todos grudaram e tive que retirar a força, como a massa tinha rendido bastante resolvi inventar moda e para não correr o risco fiz na frigideira que nem panquecas, meu Deus ficou muito bom, acho que vou trocar as forminhas pela frigideira sempre, deu super certo. Vcs querem a receita? tá bom vou passar não precisam falar alto já ouvi!

Ingredientes:
3 ovos
1 copo de 250 ml de leite
3 xícaras (chá) de polvilho doce
1 pacotinho de queijo ralado
1/2 colher (sopa) rasa de sal
1 xícara não muito cheia de óleo

Modo de fazer:
Bater todos os ingredientes no liquidificador até ficar uma massa lisa. Fritar aos poucos como fazemos com as panquecas. Comemos pura, mas acredito que pode ser recheada com queijo e presunto, deve ficar ainda mais gostoso.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Viradinho de abobrinha


Tenho certeza de uma coisa, quem é mãe assim como eu, já deve ter passado pela situação de colocar algum tipo de comida na mesa e as crianças falarem assim: ah mãe eu não gosto disso ou então, eu não vou comer isso, pois muito bem, eu tenho uma tática, não digo o que eles vão comer. Meu filho de 17 anos até estes dias comia o meu viradinho de abobrinha achando que era viradinho de ovo e bolo de cenoura achando que era amarelinho daquele jeito por causa do ovo ser caipira e consequentemente bem amarelo. Se não usamos estas diquinhas eles nunca querem comer verduras, legumes e nem frutas muitas vezes. Mas agora chega de papo furado e vamos a receitinha que na verdade é só uma dica de como enganar a molecada, é muito fácil e bem gostosinho.

Ingredientes:
1 abobrinha bem novinha ralada
2 ovos batidos
farinha de milho flocada
óleo suficiente para refogar a abobrinha
alho, sal, pimenta vermelha ardida à gosto
cheiro verde
Coloque óleo na panela, frite alho e acrescente a abobrinha e a pimenta vermelha, acrescente, sal, coloque um pouquinho de água e deixe amolecer a abobrinha. Quando secar a água coloque os ovos batidos, deixe cozinhar os ovos, vá despejando farinha de milho aos poucos até ficar uma farofinha ( eu gosto bem molhadinha) desligue o fogo e despeje o cheiro verde. Pode servir e enganar a molecada que eles comerão e nem vão dizer o que estão comendo.

Bom dia!!

A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos,na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade.
A dor é inevitável. O sofrimento é opcional.

Carlos Drummond de Andrade

terça-feira, 27 de julho de 2010

Patchcolagem



Estes dias me encantei com o mundo do patchwork, nunca tinha olhado direito para as coisas de patch que via por aí. Como é engraçado, quando a gente olha mas não vê. Foi assim mesmo nunca tinha visto, só olhado. Porém estes dias não sei porque sem mais nem menos comecei a fuçar na net atrás de coisas feitas de patch. Na comunidade de A a Z encontrei um vídeo maravilhoso que a amiga Mamuska postou de uma mestre em Patch a Vera, meu Deus não deu outra corri atrás de tecidinhos, linhas, agulhas e papel termocolante que nunca tinha ouvido falar na minha vida, mas tudo bem porque a vida é um aprendizado constante se não que graça teria a vida. Então ontem peguei um monte de retalhos que ganhei de uma costureira de mão cheia a Teodolinda (amigona que deu e não quis cobrar nem um centavinho) pensem na montanha de pano....
cheguei em casa toda empolgada, coloquei na água (porque o tecido encolhe se não molhar) e com a ajuda dos filhotes pendurei aquele monte de paninho no varal de todas as combinações de cores, ficou até bonito de ver, depois passei todos eles, separei por cores, coloquei todos em uma caixinha bem arrumadinho e organizado para ficar fácil o trabalho, peguei uma camiseta que já tinha em casa, não ia comprar uma camisetinha nova para aprender e lá fui eu para minha aventura, nossa gente me apaixonei quando apliquei os tecidos e vi as combinações de cores (amo lilás) vou fazer uma promessa, assim que ficar boa nisto vou fazer um pap para vcs do trabalho é muito fácil e apaixonante. Mas por enquanto vou ficar aqui só fuçando na net a procura de riscos e dicas, beijinhos minhas amadas que agora vou separar uma cores e começar a fazer outra camiseta ( não vai sobrar uma camiseta lisa sem patch aqui em casa rsrs).

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Parabéns meu amor


Hoje estamos fazendo 24 anos de casados. Meu Deus isto é uma vida! já vivi mais com meu marido do que com minha mãe e meu pai. Ele já está com 5 nos de vantagem.
Casamento é uma coisinha complicada, onde 2 dóidos vão morar na mesma casa, com pensamentos, gostos, afinidades diferentes, sem falar que misturam famílias muitas vezes que não tem nada a ver. Uma pode ser católica e a outra evangélica. Uma pode ser evangélica e a outra espírita. Existe uma gama enorme de opções que podem ser misturadas e que acabam com o tempo fazendo a diferença. Mas acredito que todas estas diferenças acabam quando existe o amor. Momento mágico em que estas pessoas passam a conviver, quando vem os filhos, netos.
Casamos muito novos com 19 anos, meu Deus era uma menina como dizia minha sogra, mas na época nem me dava conta de como era novinha, o que eu queria era casar com meu amor. Deus depois de 6 anos nos deu nosso primeiro presente Matheus, filho maravilhoso que hoje está um homem com 17 anos e que daqui uma semana começa a realizar o seu sonho estudando na UFMT fazendo agronomia. Depois de 4 anos chegou a nossa princesa Ana Carolina, hoje com 13 anos e já está uma mocinha linda (xodó do pai). E como não poderia deixar de ser, para encerrar a produção com chave de ouro chegou o Lucas, menino lindo de olhos verdes e que está com 7 anos, um gatinho, meu companheiro que está ao meu lado sempre. Agora só tenho a agradecer a Deus pela família linda que Deus preparou, sim porque no dia 26 de Julho de 1986 já estava traçado como seria a minha vida e minha família, sinto que sou uma mulher realizada e acredito que meu marido também, mas claro que não vou falar por ele, estou falando pois é o que ele demonstra. Agora só quero pedir a que nós possamos desfrutar os próximos 24 anos com saúde para esperarmos a chegada dos netos que um dia virão (espero que demore um pouquinho ainda).

Bom início de semana

Em um largo rio, de difícil travessia, havia um barqueiro que atravessava as pessoas de um lado para o outro.
Em uma das viagens, iam um advogado e uma professora.
Como quem gosta de falar muito, o advogado pergunta ao barqueiro:
- Companheiro, você entende de leis?
- Não - responde o barqueiro.
E o advogado compadecido:
- É pena, você perdeu metade da vida!
A professora, muito social, entra na conversa:
- Seu barqueiro, você sabe ler e escrever?
- Também não - responde o remador.
- Que pena! - condói-se a mestra:
- Você perdeu metade da vida!
Nisso, chega uma onda bastante forte e vira o barco.
O canoeiro preocupado pergunta:
- Vocês sabem nadar?
- Não!
- responderam eles rapidamente.
- Então é pena - conclui o barqueiro:
- Vocês perderam toda a vida!
"Não há saber mais ou saber menos: há saberes diferentes"

Tenham uma semana repleta de bençãos!

sábado, 24 de julho de 2010

Bolo de chocolate que sai com cobertura do forno



Ingredientes:
1 xic (chá) de leite
2 xic (chá) de açúcar
2 1/2 xic (chá) de farinha de trigo
2 ovos
4 colheres (sopa) de margarina
1 colher (sopa) de fermento

Modo de Preparar:
Bater bem a margarina, o açúcar e as gemas, junte o leite e acrescente o resto dos ingredientes, (préviamente peneirados). Por fim as claras em neve.

Cobertura:
2 copos (americano) de água
1 xíc (chá) de açúcar
3 colheres (sopa) de achocolatado

Modo de Preparar:
Leve todos os ingredientes ao fogo até levantar fervura, jogue devagar em cima do bolo crú, que já deve estar em uma forma com furo central, untada só com margarina (um pouco a mais do que o normal).
Deixe o bolo descansar por 15 minutos e leve ao forno pré-aquecido, temperatura média. Deixe esfriar e desenforme.

A calda ficará toda sobre o bolo...
Obs.: Quando fôr despejar a calda sobre o bolo, já faça em uma leiteira que tem o biquinho para que a calda seja despejada como se fosse um fio, e mais ou menos a 15 cm. do bolo, comece pela lateral, vá ao meio e depois ao cone, assim a calda descerá ao fundo fazendo riscos de chocolate na massa.
Durante esses 15 minutos de espera você verá que a massa começa a subir...

Esta receita peguei da querida amiga Luzia na comunidade culinária receitas.

Cozinhar é uma arte


"De um lado a gatronomia cresce a cada dia, desperta o interesse de muitos jovens de se tornarem famosos chefes de cozinha, porém de outro lado, vemos que cada dia que passa temos menos donas de casa que cozinham para os seus familiares."

Devido a correria do dia a dia, quanto mais rápido, fácil, for a forma de se preparar uma refeição melhor, se for possível optar por comer fora de casa, melhor ainda. A mãe, dona de casa que antes tinha o papel de cuidar da casa, cozinhar, hoje ganha espaço no mercado de trabalho e essa tarefa é feita de outra forma. Restaurantes, fast foods, comida pronta e lanches são geralmente as opções escolhidas.

A comida “caseira” fica apenas para os fins de semana ou em alguns casos só na casa da vovó, não é mesmo?

Existe o lado bom e ruim dessa mudança no estilo de vida das famílias. Sem dúvida alguma a modernidade de hoje em dia trás inúmeros benefícios, mas não posso deixar de apontar que o hábito de deixar de comer com a família, de fazer refeições em um ambiente agitado, com alimentos ricos em gordura e açúcar está associado com alguns distúrbios alimentares.

“Cozinhar pode ser uma forma de descontrair, de relaxar, de se divertir ”
Por isso é preciso repensar o quanto “ganhamos e perdemos” com nossas escolhas. Acredito que o equilíbrio, o meio termo é uma ótima opção. Não abandone a cozinha, faça do ato de cozinhar uma terapia nos momentos possíveis e ganhe mais saúde e o amor de seus familiares.

Veja a seguir alguns benefícios de cozinhar:

Vínculo emocional

- A relação do alimento com a vida social é muito presente. O alimento une as pessoas, aproxima um amigo, uma familiar, um parente. Participar de refeições em conjunto, comemorar datas em torno de uma mesa, de servir alimentos para visitas, tudo isso é importante para criar e aumentar os vínculos.

- O ato de cozinhar é uma forma de promover uma reunião com sua família durante a refeição. Conhecer mais da vida do outro, trocar informações, ouvir e falar favorece as relações familiares.

- Quando você prepara um jantar romântico, você tem a proposta de agradar o outro, cuidar, fazer um agrado. A pessoa amada percebe o gesto e isso fortalece o relacionamento.

- Quem não se lembra do cheiro daquela canja que sua mãe preparava para você quando ficava doente? Ou daquele bolo de chocolate no fim de semana? São sensações que nunca esquecemos e que nos remete há um tempo bom de nossas vidas.

- Segundo uma pesquisa da Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos, publicada na revista Archives of Pediatrics & Adolescent Medicine, comer com a família pode ser uma das formas mais fáceis de evitar que adolescentes desenvolvam distúrbios alimentares e recorram a medidas extremas para controlar o próprio peso. De acordo com o estudo realizado, os distúrbios alimentares, se tornam mais comuns na passagem da adolescência para a vida adulta, e as refeições familiares podem ajudar a evitá-los.

Saudável

- Se você prepara uma refeição existe uma confiança maior em relação à higiene e a procedência dos ingredientes utilizados, isto proporciona uma forma de prevenção contra doenças como toxiinfecções alimentares, contaminação por microorganismos.

- Os produtos industrializados têm uma grande quantidade de sódio, gordura, açúcar e aditivos alimentares presentes, necessários para conservação. Quanto mais natural for a comida que você for preparar, menos sódio e aditivos ela terá.

- Se você cozinha, pode escolher a forma de cocção das preparações e evitar o consumo de frituras, preferindo aos assados, grelhados e cozidos.

- Temperos naturais e ervas aromáticas, são ótimos para dar sabor as preparações e são excelentes opções, quem se arrisca na cozinha e tem criatividade geralmente utiliza estas especiarias e cria delícias.

Terapia






"Há quem diga que cozinhar é uma arte. Mas também pode ser um grande prazer.
Cozinhar pode ser uma forma de descontrair, de relaxar, de se divertir."






- Cozinhar é uma terapia que contribui para o bem-estar e o equilíbrio emocional. Cozinhar ouvindo as músicas preferidas, preparar a comida pensando nas pessoas que irão se alimentar, os elogios que irá receber, faz você distrair e se desligar dos seus problemas.

Ato de amor

- O cuidado e a atenção de quem cozinha são importantes. Para que haja esse cuidado e para que se possa alegrar a pessoa a quem se vai oferecer a comida, é preciso eliminar ou mudar o pensamento de que cozinhar é chato, de que é trabalhoso, etc. Mude o pensamento, lembre-se que além do próprio alimento, a pessoa vai absorver também o sentimento com que você fez a comida.

- Se você preparar o alimento com amor, surgirá nas pessoas o sentimento de fraternidade e de agradecimento por aquela comida. Experimente fazer com este intuito.

- Através da alimentação, as pessoas podem conhecer as Leis da Natureza, ser tocadas pela misteriosa força que a vida possui.


"Para aqueles que já apreciam o hábito de cozinhar,
não o percam, e para os que não gostam, descubra o bem que pode
fazer à você."
Espero que tenham gostado da matéria!
Coluna assinada por:
Roberta dos Santos Silva
Nutricionista-chefe do programa Cyber Diet
formada pela Universidade Católica de Santos
CRN-3 14.113

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Pizza Retangular Célia Kaori

a

Meninas sabem aquela receitinha de pizza maravilhosa e que rende muito, pois então é esta aqui, muito boa, rendimento é de 1 pizza retangular grande e uma redonda média ( não gosto de massa grossa) esta fica no ponto, apesar de fina não fica ressecada.

2 ovos
1/2 xícara de (chá) de óleo
1 xícara de (chá) de leite
1 colher bem cheia de (chá) de sal
1 colher (sopa) de açucar
30 grs de fermento de pão
mais ou menos 500 grs de farinha de trigo

Modo de fazer: Dissolver o fermento no açucar, acrescentar os ovos, o óleo, o sal, mexer bem, acrescente a farinha de trigo, a massa fica um pouco pegajosa. Sovar bem, se precisar passe óleo nas mãos. Deixe descansar 30 min, abra a massa, coloque em uma assadeira grande retangular 30x45, leve ao forno para pré assar. Recheie a seu gosto e volte ao forno para assar a cobertura.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Pão colonial receita da britânia doce




Como disse na postagem de ontem, fiz algumas receitas utilizando a receita do pão colonial da Britânia, estes são doces com recheios de côco e passas. Cobertura de leite condensado, muito fácil de fazer.
A receita é feita como o do pão salgado, porém aumente um pouquinho de açucar na massa. Depois que o pão estiver amassado e já crescido, abra a massa na mesa e coloque o creme.
Faça um creme com 3 colheres de margarina, 3 colheres de açucar refinado, passe o creminho, jogue côco ralado e passas, enrole e corte em pedaços e uns 3 dedos de largura, coloque em forma redonda de buraco no meio, depois de assado, jogue leite condensado e côco.

terça-feira, 20 de julho de 2010

Nózinhos da Palmirinha Onofre




02 tabletes de fermento para pão
01 colher (chá) sal
01 copo (requeijão) de leite morno
1 kg de farinha de trigo
05 colheres (sopa) de açúcar
05 ovos
01 copo (americano) de óleo
01 gema para pincelar

Para banhar
02 xícaras (chá) de açúcar
01 xícara (chá) de água
01 xícara (chá) de côco ralado

Modo de Fazer:
Em um recipiente coloque o fermento esfarelado, adicione um pouco de açucar e misture até obter um líquido.
Acrescente o leite morno, mexa bem. Acrescente o restante açucar, os ovos levemente batidos, o sal, o óleo e vá acrescentando a farinha aos poucos.
A seguir sove a massa sobre uma superfície lisa e deixe descansar por aprox. 10-15 min. coberta com um pano.
Após descansar, faça cordões com a massa e vá dando nozinhos e cortando, de modo que forme um pãozinho com nó. Coloque em forma untada com manteiga e farinha de trigo. Deixe a massa dobrar de volume.
Pincele a gema em cada um deles e leve para assar em forno pré-aquecido por aprox. 15-20 min em forno 150° C e mais 10 min em forno 180° C até dourar.
Após assado passe cada pãozinho pela calda e depois pelo côco.
Calda: Em uma panela ferva a agua e o açucar até formar uma calda rala.
Rende aproximadamente 43 pãezinhos

Pão colonial receita da Britânia



Ganhei uma máquina de pão, fiz diversas vezes, claro acabamos enjoando dos pães assados na máquina. Então fiz umas variações que deram super certo, aqui em casa todos adoram. A receita que vou passar amassei usando a máquina mas quem não tiver a dita cuja pode fazer na mão que dá certo também, não precisam chorar.
A receita pra quem tem a engenhoca é aquela que vem do livrinho da Britânia, mas claro que vou passar ela aqui bem explicadinho.

Para pães de 900 gramas.
1 1/3 de copo de leite com 1 ovo (320 ml)
(coloque o ovo dentro do copo e complete o copo com leite)
1 1/2 colher de (sopa) de margarina ou manteiga ( uso sempre margarina sem sal)
1 1/2 colher de (chá) de sal
2 colheres de sopa de açucar
4 copos de farinha de trigo especial 960 ml ( preste atenção quando forem medir no copo medida é ml ok meninas?)
2 colheres de chá de fermento biológico seco (aqueles granuladinhos de pacotinhos de 10 gramas)
Retire a forma de assar de dentro da máquina de pão e adicone todos os ingredientes na ordem acima. Recoloque a forma de assar dentro da máquina de pão selecione o tamanho do pão, a cor da casca e o ciclo recomendado. Feche a tampa e pressinone o botão iniciar. Atenção, o tempo é de 3 horas até o pão ficar pronto eu porém deixe ela fazer todo o processo de amassar e deixo o pão dentro da máquina para crescer mas tiro antes que inicie o processo de assar, levo a massa na mesa, abro com o rolo e recheio, com mussarela, presunto, tomate em rodelas e óregano.Enrolo o pão, passo gema e levo ao forno para assar, depois de uns 20 min para crescer mais um pouquinho.
Asso em forno a 180 graus sem pré aquecer, nunca pré aqueço o forno para fazer pães.
Rendimento 2 pães pequenos ou 1 enorme.

Sugestão de recheios:

Calabresa moída com catupiry
Frango desfiado com catupiry
Presunto, mussarela, tomate fresco ou tomate seco
salame
E o que mais vcs tiverem na geladeira e quiserem aproveitar.

Morre filho da atriz Cissa

Meu Deus que coisa triste, nem consigo imaginar um pesadelo deste. Rafael Mascarenhas menino de 18 anos filho da atriz Cissa Guimarães, uma vida inteira pela frente, interrompida por uma tragédia.
Eu como mãe que sou, fico pensando na dor desta mãe, li em algum lugar estes dias que esta é a única perda que não tem nome, porque uma mulher quando perde o marido fica viúva, o marido quando perde a mulher fica viúvo, um filho quando perde a mãe ou o pai fica orfão mas que nome tem a mãe que perde um filho? eu acho que o nome que mais poderia chegar perto seria desesperada. Tristeza profunda, claro que não tenho a pretenção que um dia Cissa irá ler o que estou escrevendo aqui, mas a única coisa que poderia falar agora neste momento é que ela caia nos braços de Deus, pois só ele poderá confortar e acalentar o seu coração cheio de sofrimento e dor. Cissa um beijo em seu coração!

Fácil e difícil

Um poema de Drummond para refletirmos e reverenciarmos a vida…

Falar é completamente fácil, quando se tem palavras em mente que expressem sua opinião.

Difícil é expressar por gestos e atitudes o que realmente queremos dizer, o quanto queremos dizer, antes que a pessoa se vá.

Fácil é julgar pessoas que estão sendo expostas pelas circunstâncias.

Difícil é encontrar e refletir sobre os seus erros, ou tentar fazer diferente algo que já fez muito errado.

Fácil é ser colega, fazer companhia a alguém, dizer o que ele deseja ouvir.

Difícil é ser amigo para todas as horas e dizer sempre a verdade quando for preciso. E com confiança no que diz.

Fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre esta situação.

Difícil é vivenciar esta situação e saber o que fazer. Ou ter coragem pra fazer.

Fácil é demonstrar raiva e impaciência quando algo o deixa irritado.

Difícil é expressar o seu amor a alguém que realmente te conhece, te respeita e te entende. E é assim que perdemos pessoas especiais.

Fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar.

Difícil é mentir para o nosso coração.

Fácil é ver o que queremos enxergar.

Difícil é saber que nos iludimos com o que achávamos ter visto. Admitir que nos deixamos levar, mais uma vez, isso é difícil.

Fácil é dizer “oi” ou “como vai?”

Difícil é dizer “adeus”. Principalmente quando somos culpados pela partida de alguém de nossas vidas…

Fácil é abraçar, apertar as mãos, beijar de olhos fechados.

Difícil é sentir a energia que é transmitida. Aquela que toma conta do corpo como uma corrente elétrica quando tocamos a pessoa certa.

Fácil é querer ser amado.

Difícil é amar completamente só. Amar de verdade, sem ter medo de viver, sem ter medo do depois. Amar e se entregar. E aprender a dar valor somente a quem te ama.

Fácil é ouvir a música que toca.

Difícil é ouvir a sua consciência. Acenando o tempo todo, mostrando nossas escolhas erradas.

Fácil é ditar regras.

Difícil é seguí-las. Ter a noção exata de nossas próprias vidas, ao invés de ter noção das vidas dos outros.

Fácil é perguntar o que deseja saber.

Difícil é estar preparado para escutar esta resposta. Ou querer entender a resposta.

Fácil é chorar ou sorrir quando der vontade.

Difícil é sorrir com vontade de chorar ou chorar de rir, de alegria.

Fácil é dar um beijo.

Difícil é entregar a alma. Sinceramente, por inteiro.

Fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida.

Difícil é entender que pouquíssimas delas vão te aceitar como você é e te fazer feliz por inteiro.

Fácil é ocupar um lugar na caderneta telefônica.

Difícil é ocupar o coração de alguém. Saber que se é realmente amado.

Fácil é sonhar todas as noites.

Difícil é lutar por um sonho…

domingo, 18 de julho de 2010

Ótima semana meninas

As páginas da vida são cheias de surpresas...
Há capítulos de alegria, mas também de tristezas.
Há mistérios e fantasias.
Sofrimentos e decepções...
Por isso, não rasgue páginas e nem solte capítulos.
Não se apresse a descobrir os mistérios.
Não perca a esperança.
Pois muitos são os finais felizes.
E nunca se esqueça do principal:"
NO LIVRO DA VIDA, O AUTOR É VOCÊ ."
Uma semana de muita paz, alegria, inspiração e principalmente, recheada de bençãos.

sábado, 17 de julho de 2010

Feijoada



Minhas queridas, maridex amanheceu com desejo de comer feijoada, eu gosto de me preparar com antecedência, colocar o feijão de molho no dia anterior e também os pertences do porco, porém a vontade era grande e ele queria para o almoço. Mandei ele para o mercado e não deu outra saiu a dita cuja e não é que a danada ficou boa.
Ele trouxe um pacote daqueles que vem tudo junto da perdigão, calabresa, paio, carne seca e bacon.
Vamos a receitinha.

Ingredientes:
1 pacote de pertences de feijoada da marca que preferir
2 bananas de calabresa
2 bananas de paio
1 pedaço de bacon
umas 400 grs de carne seca
e uns 2 rabinhos de porco fatiado
Coloque as carnes para aferventar para tirar o sal, coloque água em uma chaleira e vá trocando a água várias vezes até retirar bem o sal das carnes.
Deixe o feijão de molho em água fervente para cozinhar mais rápido
Depois que as carnes estiverem sem o sal, leve em uma panela grande de pressão para cozinhar as carnes, junto com o feijão, quando estiverem quase no ponto acrescente o bacon para cozinhar junto.
Numa outra panela grande coloque umas 4 colheres de óleo, frite 2 dentes de alho, 1 cebola bem batinha, acrescente a linguiça calabresa e o paio deixe fritar bem. Acrescente o feijão com as carnes, coloque 3 folhinhas de louro deixe apurando até pegar o gosto, verifique o sal se for necessário acrescente a seu gosto, na minha não foi preciso colocar nada de sal.

Servir a feijoada acompanhada de arroz branco, couve refogada, vinagrete, laranja, farofa.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Olhem como ficam as esfirras

Esfirra de Carne



Ingredientes:

2 colheres de (sopa) de fermento de pão
1/2 copo (americano) de açucar
1 colherinha de (chá) de sal
1/2 copo (tipo de requeijão) de óleo
1 copo e meio (tipo de requeijão) de água morna
aproximadamente 1 kg de farinha de trigo
1/2 kg de carne moída
2 gemas e 1 colher de (café pronto) para pincelar
1 cebola
3 tomates
cheiro verde a gosto
1 Limão
Sal e pimenta calabresa a gosto.

Modo de Preparo:
Dissolver o fermento, açucar e o sal, em seguida amasse bem com uma colher até ficar líquida.
Coloque o copo de óleo e a água.
Coloque a farinha aos poucos sovando até que fique uma massa que solte das mãos.
Deixe descansar por 20 min coberto com um pano.

Recheio:
Prepare a carne, temperando com sal, cebola, cheiro verde, tomate picadinho, limão. Prepare antes de começar a fazer a massa. Depois de preparada a carne deixe ela sorar, aperte em uma peneira e deixe escorrer bem o líquido.
Monte as esfirras colocando o recheio cru, pincele com as gemas e o café, coloque para assar em forno frio e temperatura a 180 graus.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Viva como as flores

Mestre, como faço para não me aborrecer?
Algumas pessoas falam demais, outras são ignorantes.
Algumas são indiferentes.
Sinto ódio das que são mentirosas.
Sofro com as que caluniam.
- Pois viva como as flores!, advertiu o Mestre.
- Como é viver como as flores? - perguntou.
- Repare nestas flores, continuou o Mestre, apontando lírios que cresciam no jardim.
Elas nascem no esterco, entretanto são puras e perfumadas.
Extraem do adubo malcheiroso tudo que lhes é útil e saudável, mas não permitem que o azedume da terra manche o frescor de suas pétalas.
É justo angustiar-se com as próprias culpas, mas não é sábio permitir que os vícios dos outros o importunem.
Os defeitos deles são deles e não seus.
Se não são seus, não há razão para aborrecimento.
Exercite, pois, a virtude de rejeitar todo mal que vem de fora.
Isso é viver como as flores!
"Examinem tudo, fiquem com o que é bom e evitem todo tipo de mal"

domingo, 11 de julho de 2010

Panquecas de carne moída



Ingredientes:

2 ovos
1 copo de 250 ml de leite
1 copo de 250 ml de farinha de trigo
1 colher de chá de sal
Bata todos os ingredientes no liquidificador
Frite as panquecas em frigideira anti-aderente, recheie à gosto.

Recheio:
Refogue a carne moída a seu gosto, pode fazer também de peito de frango, com carne seca desfiada ou outro recheio que preferir, aqui na minha casa todos gostam como estas da foto.

Bom dia minhas queridas

Desejo a voces...

Carlos Drummond de Andrade

Fruto do mato, cheiro de jardim, namoro no portão, domingo sem chuva, segunda sem mau humor, sábado com seu amor, filme do Carlitos, chope com amigos, crônica de Rubem Braga, viver sem inimigos, filme antigo na TV, ter uma pessoa especial e que ela goste de você.

Música de Tom com letra de Chico, frango caipira em pensão do interior, ouvir uma palavra amável, ter uma surpresa agradável, ver a banda passar.

Noite de lua cheia, rever uma velha amizade, ter fé em Deus... Não ter que ouvir a palavra não nem nunca, nem jamais e adeus.

Rir como criança, ouvir canto de passarinho, sarar de resfriado, escrever um poema de amor, que nunca será rasgado.

Formar um par ideal, tomar banho de cachoeira, pegar um bronzeado legal, aprender uma nova canção... Esperar alguém na estação.

Queijo com goiabada, por-do-sol na roça... Uma festa, um violão, uma seresta. Recordar um amor antigo, ter um ombro sempre amigo, bater palmas de alegria.

Uma tarde amena, calçar um velho chinelo, sentar numa velha poltrona, tocar violão para alguém, ouvir a chuva no telhado, vinho branco, Bolero de Ravel e ...

...muito carinho meu.

sábado, 10 de julho de 2010

Empadão maravilha



Recheio

Faça o recheio primeiro, para esfriar,antes de fazer a massa.

Cozinhe 1 peito de frango com água, sal a gosto, salsinha.
Depois de cozido, passe no processador, ou bata no liquidificador p/ triturar ou desfie.
Frite a seu gosto, cebola ralada, alho, pimentão ralado, após, coloque o frango desfiado, palmito picado, ervilhas, azeitonas, adicione tomate ralado ou 1 lata de molho de tomate, 1 pitada de açúcar e um pouco do caldo que cozinhou o frango. Mexa tudo para misturá-los.

Se precisar, para engrossar o recheio acima, em outra panela, leve ao fogo ½ xícara (chá) do caldo que cozinhou o frango com 1 colher (sopa) de amido de milho (maizena) ou 1 colher (sopa) de farinha de trigo, adicione ao recheio e deixe no fogo até ficar numa boa consistência. Mexendo para não empelotar.
Reserve para esfriar.

Massa:

2 xícaras (chá) de farinha de trigo,
1 colher (sopa) de fermento em pó Royal,
1 pitada de sal,
4 colheres (sopa) de margarina
4 colheres (sopa) de óleo.

Misture tudo até virar uma farofa. Espalhe essa farofa (massa), com as pontas dos dedos, numa travessa média, bem fininha (se sobrar farofa, reserve para a cobertura). Coloque o recheio frio.

Cobertura do empadão:

Bater no liquidificador:

2 ovos inteiros,
½ de copo (125ml) de leite,
1 pacote de queijo ralado e se sobrou, junte o restante da farofa da massa, que estava reservada.
Após bater no liquidificador, despeje essa cobertura sobre o recheio e salpique queijo ralado por cima.
Asse em forno médio, pré-aquecido por mais ou menos 35 minutos ou até que fique dourado.

Esta receita maravilhosa é da minha amiga linda Ligia de Curitiba.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

O urso

Certa vez, um urso faminto perambulava pela floresta em busca de alimento.
A época era de escassez, porém, seu faro aguçado sentiu o cheiro de comida e o conduziu a um acampamento de caçadores.
Ao chegar lá, o urso, percebendo que o acampamento estava vazio, foi até a fogueira, ardendo em brasas, e dela tirou um panelão de comida.
Quando a tina já estava fora da fogueira, o urso a abraçou com toda sua força e enfiou a cabeça dentro dela, devorando tudo.
Enquanto abraçava a panela, começou a perceber algo lhe atingindo.
Na verdade, era o calor da tina...
Ele estava sendo queimado nas patas, no peito e por onde mais a panela encostava.
O urso nunca havia experimentado aquela sensação e, então, interpretou as queimaduras pelo seu corpo como uma coisa que queria lhe tirar a comida.
Começou a urrar muito alto e, quanto mais alto rugia, mais apertava a panela quente contra seu imenso corpo.
Quanto mais a tina quente lhe queimava, mais ele a apertava contra o seu corpo e mais alto ainda rugia.
Quando os caçadores chegaram ao acampamento, encontraram o urso recostado a uma árvore próxima fogueira, segurando a tina de comida..
O urso tinha tantas queimaduras que o fizeram grudar na panela e seu imenso corpo, mesmo morto, ainda mantinha a expressão de estar rugindo.
Quando terminei de ouvir esta história de um mestre, percebi que, em nossa vida, por muitas vezes, abraçamos certas coisas que julgamos ser importantes.
Algumas delas nos fazem gemer de dor, nos queimam por fora e por dentro e, mesmo assim, ainda as julgamos importantes.
Temos medo de abandoná-las e esse medo nos coloca numa situação de sofrimento, de desespero.
Apertamos essas coisas contra nossos corações e terminamos derrotados por algo que tanto protegemos, acreditamos e defendemos.
Para que tudo deu certo em sua vida, é necessário reconhecer, em certos momentos, que nem sempre o que parece salvação vai lhe dar condições de prosseguir.
Tenha a coragem e a visão que o urso não teve.
Tire de seu caminho tudo aquilo que faz seu coração arder.
Mas não se esqueça: jogando a tina longe, o urso também corre o risco de morrer de fome.
Ou seja: nada na vida é tão simples ou tão óbvio, que possa ser decidido por regras ou convenções.
Cada um é cada um, cada vida é diferente da outra e o que queima nem sempre é ruim e o que parece ser ruim, pode ser uma provação e uma ótima coisa pro futuro...

terça-feira, 6 de julho de 2010

Bolo de iogurte mesclado com chocolate



Receita da Maria Helena

bata no liquidificador:
1 copo de iogurte natural
o mesmo copo de óleo
3 ovos inteiros (ou 4 se forem pequenos)

depois mistura numa outra vasilha (sem bater)
2 copos (o mesmo copo do iogurte) de trigo
2 copos (o mesmo copo do iogurte) de açúcar
1 colher de sopa de fermento químico
Despeje em forma de buraco no meio quase toda a massa, deixando um pouquinho na tigela, acrescente 2 colheres de nescau e mexa bem, despeje sobre a massa branca, passe um garfo para mesclar o bolo.

no meu forno... 45 minutos no médio (forno pré aquecido)

Fica um bolo grande e fofo (na forma de buraco no meio - mais ou menos 23 cms)
Depois de assado, desenforme o bolo e faça uma cobertura

6 colheres de açucar
6 colheres de nescau
6 colheres de leite
1 colher de margarina
Leve ao fogo até formar bolhas, tire do fogo e cubra o bolo.

Torresminho na panela de pressão



Meninas encontrei a solução da minha vida: maridex adora torresmo e eu odeio aquela sujeirada que faz no fogão. Ontem conversando com minha xará de Indaiatuba pelo orkut ela postou umas fotos desta maravilha e disse que tinha feito na panela de pressão e que não fazia sujeira nenhuma, lógico fiquei dóida e fui para cozinha na mesma hora tirar os dito cujos do freezer, quando cheguei da escola, preparei e para minha grata surpresa ficou esta maravilha, sequinho e sem uma única gotinha de óleo no meu fogão. Tá bom já sei que é para parar de papo furado e passar a receita né? eu peguei na culinária receitas, foi postado pela Miriam bolos.

1 kg de toucinho de lombo
1/2 lt de oleo de soja
tempero de copo a gosto
Tempere os toucinhos bem picados, coloque na panela de pressao, cubra com o oleo, tampe a panela sem o pino e deixe por 10 minutos e vai abrindo e mexendo a cada dez minutos ate começar a fritar, tire a tampa e termine de pururucar. OBS...fogo medio com a tampa e fogo alta para pururucar. Uma diquinha que achei bem legal, mexa os torresmos com uma colher de pau, não espirra nada mesmo.

domingo, 4 de julho de 2010

Charlene



Como diz minha amiga Giane, se gato tem 7 vidas a charlene tem 14, oh gata pra viver. Tem mais de 12 anos e olhem que a minha mãe até pagou para tirar um câncer e a bichinha sobreviveu.
Arisca e chata que só ela rsrs. Quando chego na casa de minha mãe, ela some e só vem em casa para comer a noite quando as crianças estão dormindo, ela sente ciúmes, pode? gato ter ciúmes dos netos da minha mãe? mas fazer o que né? assim vamos levando.

sábado, 3 de julho de 2010

Para pensar um pouquinho

Narra uma lenda que um príncipe poderoso caiu em mãos inimigas que decidiram tirar-lhe a vida, condenando-o forca.
Dada sua linhagem nobre, o rei dos inimigos lhe propôs um acordo.
Se ele conseguisse decifrar um certo enigma, sua vida seria poupada.
Para isso, concedeu-lhe a liberdade de procurar a resposta por três dias.
Com a pergunta lhe fervendo na cabeça, o príncipe começou a buscar entre os habitantes do lugar quem o pudesse ajudar a encontrar a solução.
A pergunta era: o que mais deseja uma mulher?
Ao final do terceiro dia, já desanimado e antevendo sua morte na forca, o príncipe encontrou uma mulher muito feia.
Na boca, somente dois dentes.
Os cabelos desgrenhados.
As vestes sujas.
Era chamada por todos, pelo seu aspecto horrível, de bruxa.
Ela disse que tinha a resposta.
Mas exigia que, tendo salva a vida, ele voltasse e casasse com ela.
Não desejando morrer, ele consentiu e ela lhe disse:
"o que mais deseja uma mulher é ter soberania sobre a sua vida."
Com a resposta, o príncipe teve poupada a sua vida e voltou para casar com a bruxa.
Não queria, mas tinha prometido.
Triste destino o meu, pensava.
Casar com uma bruxa.
Entristecido, na noite de núpcias, sentou-se na cama aguardando a noiva de horrível aspecto.
Qual não foi sua surpresa quando ela se apresentou belíssima, num vestido branco, com cabelos louros, olhos azuis brilhantes e um sorriso perfeito.
Como pode?
Perguntou o príncipe.
É que esqueci de lhe falar que durante o dia eu sou bruxa e noite viro uma linda mulher.
Agora, você pode escolher: quer que eu seja bruxa de dia ou de noite?
Ele olhou para aquela figura maravilhosa e disse: deixo que você escolha se quer ser bruxa noite e donzela durante o dia ou o contrário.
A noite foi extraordinária.
No dia seguinte, ao raiar do sol, o príncipe abriu os olhos e surpreso, viu deitada ao seu lado, a jovem maravilhosa da noite anterior.
Como?
Falou ele, você não disse que durante o dia virava bruxa?
Meu amor, falou ela, como você deixou que eu decidisse sobre o que quisesse ser e quando quisesse, eu decidi ser donzela de dia e de noite.
Lembra que eu lhe falei que o que mais deseja uma mulher é a soberania sobre a sua vida, poder decidir sobre sua própria vida?


No mundo existem pessoas assim.
Fora do lar, no contato com as pessoas s o excelentes.
Gentis, atenciosas, ponderadas.
Basta que adentrem o lar para se tornarem déspotas.
Gritam, exigem, magoam.
Acreditam que o seu lar é seu reino e ali tudo podem fazer, sem limites.
Também existem as criaturas que no campo profissional, no trato social são ríspidas, grosseiras, exigentes em demasia.
E, no entanto, com a esposa, os filhos são dóceis, educados, prestativos.
O que ser, como ser e quando ser é decisão individual.
Mas, quando optarmos por sermos bons o dia todo, em todo lugar, com todas as pessoas, o mundo se tornará um lugar muito melhor para viver amar e ser feliz.

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Pão francês


Esta receitinha maravilhosa eu peguei da minha amiga xará Maria Aparecida de Maringá.


50 ml de água normal (01 copo de requeijão)
02 col. sopa de azeite de oliva
1 e 1/2 col. de açúcar
1 e 1/2 col. de fermento granulado para pão
01 col. de chá de sal
03 x. de farinha

coloquei na maquina de pão, no ciclo massa e bati por 20 mts..desliguei e fiz bolinhas da massa..todas no mesmo tamanho, dei o formato de pãozinho.
Untei uma forma e coloquei os pãezinhos..com uma faca afiada, fiz um corte de comprido.
Deixei crescer bem e levei ao forno pra assar., no fogo medio.
Coloquei no forno uma forma de aluminio pequena com agua e deixei por 20 mts...depois retirei rapidamente a agua e deixei os pãezinhos dourar.
Se não tiver máquina e nem batedeira, sove bastante na mão..por uns 15 mts, ate ficar bem lisinha.

Genteeeeeeee..ficou melhor do que da padaria..deliciaaaaaaaa!

Pesquisar este blog